Teoria do Dinheiro

Click here to edit subtitle

Eu penso, então eu arrisco

Toda a vida foi um martírio. Dar valor às coisas corretas por vezes cria emoções erradas. E há determinadas emoções que atrapalham. Sejam relações familiares/sociais, seja no trabalho, seja no amor, seja no desporto, seja no que for, muitas emoções atrapalham imenso. E, em nossas vidas, não temos grandes atividades dedicadas a esse tipo de problema para nos ajudar a controlar essas emoções. Nem todos somos chefes nem patrões, para lidar com a alta pressão e aprender a lidar com emoções negativas. Mas podemos seguir outros caminhos que nos ajudam rapidamente a pensar de cabeça fria.

Calma, clareza e o profundo de si mesmo

Pensar com calma é uma virtude de quem pensa em grande e atinge metas difíceis. Temos reparado que há pessoas que tem um grande autocontrolo e atingem grandes resultados. A diferença entre essas e outras pessoas na sua produtividade não é fazer as coisas mais rápido, mas como sempre tem calma para pensar e controlar aquilo que fazem, e admiramos muito isso. Pensar calmo ajuda a pensar com clareza, isto é, pensar e analisar bem antes de decidir ajuda a tomar decisões muito mais benéficas e produtivas do que pensar demasiado rápido e esquecer alguns detalhes. 


Conseguimos tomar melhores decisões quando a nossa mente está mais livre, sem pensamentos chatos, sem problemas, sem pensamentos negativos. Demasiadas distrações impedem-nos de pensar melhor. É como se fosse uma floresta, em que cada pensamento negativo e cada emoção fosse mais um ramo de uma árvore, uma grande vegetação, um riacho, que nos impedem de sair dessa floresta caótica que é a nossa mente. 

O Poker e a Bolsa de Valores

Valorizamos, cada vez mais, estas duas atividades, por uma razão muito básica: quando as praticamos, somos obrigados a prestar atenção máxima, a estar concentrados ao máximo para sermos lucrativos. Dessa forma, aprendemos cada vez mais a exercer uma tarefa sem desviar as atenções e ter o prazer de fazer alguma coisa ao mesmo tempo.


É um prazer libertar a nossa mente de tantas vozes que sempre gritam, de tantas responsabilidades e chegar a um momento que estamos tão concentrados que esquecemos o resto e controlamos os nossos pensamentos. O Poker e a Bolsa de Valores, pelas suas atividades, ajudam a chegar a esse ponto.


Sabemos que isso pode ser um absurdo. Mas temos reparado que pessoas que não jogam ou não estão na bolsa de valores concentradas, acabam por ter resultados piores do que aquelas que praticam essas atividades de forma focada. O Poker contém também, muitas emoções mesmo, pela quantidade de detalhes que é composto. As cartas, o dinheiro, os adversários, a matemática, o risco, a adaptação a cada situação, são muitas coisas que precisamos aprender para jogar um Poker lucrativo. E, quando estamos a jogar e a tentar prestar atenção em tanta coisa, aprendemos que, pela sua complexidade, o Poker é uma atividade bastante exigente. Porém, queremos tanto ser lucrativos que, para controlar tudo isso e ganhar dinheiro, aprendemos a observar e a pensar com clareza.

Conclusão

Jogamos Poker porque queremos ser calmos. Queremos aprender a aceitar que esperar por melhores oportunidades é mais produtivo do que tentar aproveitar o já e agora se dá prejuízo. Queremos aprender a pensar com clareza e estar habituados a pensar com clareza. Queremos ter um controlo mental grande, assim como os melhores jogadores também tem, porque, para jogar com muito dinheiro, as emoções precisam ser ZERO, ou o prejuízo é certo. E no fim de ser melhores que nós mesmos, podemos então pensar em dinheiro. 

Artigos Relacionados

Mais artigos

Assine agora e receba todas as novidades por email

O seu email não será divulgado a ninguém nem será utilizado para divulgar spam.
endereço de email
*
campayn