Teoria do Dinheiro

Click here to edit subtitle

Enfrente o risco para perder o MEDO de viver

Todos nós precisamos de um líder. Mas há muitos tipos de líderes diferentes que podemos seguir. O habitual "comandante extremo" é a sociedade que, de certa forma, nos faz todos iguais para não sermos deixados de lado. É verdade que precisamos ser fortes e manter a cabeça levantada, acabando por transformar muitos em egoístas e preconceituosos. Ou então temos as nossas referências para a vida, como pai e mãe, aquele professor ou um mentor que nos explica alguma coisa. Porém, praticamente todos se esquecem daquele que deve ser o nosso maior líder em nossas vidas: nós mesmos. Vivemos em rotinas chatas e com pouco lazer, ou em aventuras para chegar ao fim do mês. Mas nunca nos dedicámos a tentar tirar algum partido do nosso tempo para aprender algo novo que nos vai ajudar a dar um passo em frente.

Vamos fazer contas por alto e definir o preço de um café a 1 euro. Em cada manhã, tomámos um café e pagámos 1€. Ao fim de um ano, são 365€ dispensados em café, para nos ajudar a acordar para o dia. Mas isso é o que todos fazem. Mas vamos pensar um pouco diferente. Se durante um ano, guardarmos cada euro de cada café, e ao fim de um ano, após pouparmos 365€, investirmos e ganhar 1% por dia, ganhámos dinheiro para um café, um bolo, e ainda sobra dinheiro para poupar mais, sem sequer gastar os 365€. Assim, em vez que tomar um café por 1€, tomámos um pequeno almoço praticamente de graça, visto que não estamos a perder dinheiro, mas a ganhar. E, em vez que seguir as regras da sociedade, porque não mandámos nós nas nossas vidas, organizamos o nosso dinheiro e com pouco ficamos a ganhar bem mais? Não precisamos de muito. Apenas precisamos de 1€ por dia para ganhar dinheiro e tomar um pequeno almoço melhor. A sociedade apenas paga um café e vai trabalhar.


Não temos que perceber isto como uma ideia, mas como uma filosofia. Continuando com outro ótimo exemplo, de tão simples que é, mas que quase ninguém se lembra: quanto tempo você demora a ir para casa? Vamos imaginar que todos nós, por dia, demorámos meia hora a ir para o emprego, e outra meia hora para voltar, e que ganhámos por hora, 10 euros. Assim, temos uma hora de viagem que, se a quantificarmos no nosso preço de hora, estamos a perder 10 euros por dia, 300 euros por mês e 3650 euros por ano em tempo que desperdiçámos a pensar nos problemas do costume ("o que vou cozinhar", "não gosto do meu chefe", "amanhã tenho que ir às compras", "emprego de lixo", "estou tão cansado/a", etc). A maioria das pessoas, todos os dias, pensa nos mesmos problemas, todos os dias na mesma hora do trajeto para o mesmo trabalho de sempre. Assim, perdemos 3650 euros por ano a pensar em coisas que nos desviam do foco daquilo que realmente podemos fazer. Diga a verdade: não pensou já nesses problemas durante o dia? Precisa mesmo pensar no mesmo todos os dias, se a solução é praticamente sempre a mesma? Evite desperdiçar tempo em problemas com respostas fáceis. Tire um tempo para decidir o que vai fazer e liberte todo esse tempo para algo produtivo. Elabore uma lista do que vai cozinhar uma vez por semana; esqueça o seu chefe quando sai do trabalho; decida quando vai às compras, o que precisa comprar e marque na agenda; não pense no seu emprego e entenda que o cansaço é motivação para procurar melhores soluções para a sua vida. Será assim tão difícil decidir o que fazer de uma vez por todas e libertar a mente para algo mais interessante? Steve Jobs tinha, no seu guarda-roupa, muitas camisolas iguais. Assim não precisava ter que escolher o que vestir, mas estava sempre elegante.


Agora, vamos aproveitar o dinheiro que "gastaríamos" se essa hora fosse contabilizada. Por ano, são 3650 euros. Que tipo de formações por assistir com esse valor? Quais cursos pode tirar com essa quantia? Da mesma forma que rentabiliza o dinheiro do café para tomar um pequeno-almoço e sobrar dinheiro, você pode rentabilizar uma hora por dia para aprender algo que realmente você precise sem gastar dinheiro que você não tem, apenas rentabilizando o seu tempo- em vez de percorrer o facebook. Warren Buffet gasta 6 horas ou mais por dia a ler, e será que você não consegue comprar um livro e ler durante uma hora por dia durante o trajeto casa-trabalho? Ou se utilizar o carro, há muitos autores de excelência no Youtube, como Gabriel Goffi ou Rodrigo Cohen. São FANTÁSTICOS e vale a pena segui-los, mesmo. Quantitativamente, você passa de perder 3650 euros a ganhar 3650 euros. Aproveitar o seu tempo a aprender algo que o vai ajudar a avançar na sua vida ou melhorar os seus conhecimentos que, se se tivesse que pagar a alguém para lhe ensinar, seria bastante caro. É uma diferença enorme no seu orçamento "virtual". É como se você rentabilizasse 7300 euros entre o que perderia e o que ganharia em conhecimento. É, realmente, muito dinheiro representante do tempo que procrastinamos com uma hora do dia que não aproveitamos para algo útil.

O nosso objetivo aqui, não é ganhar dinheiro. É verdade que mostrámos algumas formas de o ganhar através de alguns trabalhos "de risco", como o Poker, as Apostas Desportivas ou a Bolsa de Valores. O nosso objetivo real é criar valor, nas nossas vidas, na nossa mente e chegar a um nível alto de pensamento, que nos ajude a libertar das ideias que a sociedade nos transmite, para pensar pelos nossos próprios meios. Porque, como todos, estamos cansados das regras da sociedade, que em nada valorizam ninguém e apenas nos cria um problema a nós para que, como o nosso esforço e trabalho, resolvamos o problema de alguém com mais poder nesta sociedade do que nós. 


Queremos rentabilizar o nosso tempo, transformar ideias, aprender com os melhores e enfrentar o risco de frente. Por isso trabalhamos nas áreas de risco transcritas acima. Poker, por exemplo, tem o seu risco, mas não vemos como um jogo de azar. Pelo contrário, talvez seja a melhor ferramenta que temos à nossa disposição para aprender a ter autocontrolo e a gerir bem o dinheiro. Exatamente. Qualquer profissional de Poker ou em qualquer curso, ninguém vai ensinar ninguém a jogar Poker sem antes ensinar duas coisas mais essenciais que tudo: gerir o dinheiro e ter autocontrolo. O que lhe vão dizer acerca dinheiro é: "Controlar os gastos é tudo. Amo o que faço, mas tenho que ser inteligente e gerir bem o que gasto. Ter um milhão de euros não me dá direito a jogar torneios de 100.000 euros, porque é mais fácil perder o dinheiro que ganhar alguma coisa. Assim, jogo torneios de 200 a 1000 euros. Se perder, não fará diferença no meu orçamento e posso continuar a jogar por muitos anos. Se você gastar tudo o que tem descontroladamente, rapidamente vai ficar sem dinheiro e a sua vida de liberdade termina imediatamente. E pode levar anos a recuperar, se alguma vez recuperar. Ou controla o dinheiro, ou está fora para sempre." E acerca do autocontrolo, aquilo que vão dizer todos eles é: "Poker tem o seu risco. Só precisamos escolher as situações favoráveis e investir mais nessas situações. E as menos favoráveis, simplesmente deitámos a mão fora e gastamos o mínimo possível. Há sempre mais cartas a sair, isto é, oportunidades. Não podemos perder o foco nem reagir emocionalmente quando algo corre mal, porque é normal acontecer, e estamos prontos para aproveitar a próxima oportunidade. Assim, dentro de nós mesmos, somos imbatíveis, e podemos continuar a levar uma vida mais livre".


A verdade é que nossos pais e mãos não nos ensinam isto. Na escola, somos formados para seguir profissões, mas não somos ensinados a pensar. E uma verdade muito maior e que precisa ser mais aceite, é que o Poker, de tão acessível que é, nos coloca todos os dias frente a frente com o risco, e somos assim obrigados a pensar em grande, a sermos inteligentes. Os nossos pais incentivam-nos a estudar, a escola forma para determinada profissão, e o nosso chefe pressiona para sermos produtivos naquilo que estudamos. Nossos pais não nos fazem entender que uma profissão não é tudo e que não somos ovelhas num rebanho; a escola não nos vai explicar muitas formas de pensar, apenas aquelas que que se adaptam à profissão que vamos seguir, e o nosso chefe não vai explicar o que sabe para que amanhã saibamos fazer melhor e ser mais produtivos. O Poker, e repetimos, vai obrigar-nos a enfrentar o risco, obrigar-nos a estudar e melhorar as nossas competências (matemáticas, decisionais, autocontrolo, disciplina, frieza nas emoções, et), e com o tempo ajuda-nos a alcançar níveis cada vez maiores. Muitos grandes jogadores não são ricos no dinheiro que eles ganharam. A sua riqueza está em tudo aquilo que eles vencem a si mesmos para alcançar níveis excepcionais. E o Poker, se realmente você quer vencer, vai transformá-lo e fazê-lo evoluir. Esta é a teoria do café da manhã, o rentabilizar dinheiro que você não tem em conhecimento que melhora as suas competências, que o Poker lhe vai ensinar.

Poker pode ensinar a gerir o próprio dinheiro. Entenda porque isso acontece

Poker não se vence pela ganância, mas com estratégia e sabedoria.

Precisamos trabalhar muito para vencer no Poker, pois, trabalho, não há sorte

Conclusão

Certamente que esta ideia será criticada por muitos, mas não estamos muito preocupados com isso. Sabemos que existe um caminho melhor a seguir que a rotina e o cansaço do chefe. O autoconhecimento, a busca pela evolução, pelas ideias, pelo conhecimento, o procurar ser o próprio líder, essa é a nossa busca. Dinheiro é apenas um pequeno prémio, que podemos até doar para caridade sem problema nenhum. E, quando você chegar a um nível alto e alguém lhe disser que não sabe como você tem força para trabalhar sempre mais, você sabe que a rotina pesará todos os dias muito mais.