aldeiaminecraft

Click here to edit subtitle

O equilíbrio entre Dinheiro e Propósito

Não fazemos ideia qual é a situação atual de vocês, mas provavelmente, falta dinheiro ou propósito na vida. Num mundo cheio de regras, interesses e juízos de valor, é cada vez se manter concentrado e motivado num objetivo grande. Muitos de nós temos sonhos, temos virtudes, sabemos que lá podemos chegar, mas acabámos de tal forma influenciados por tudo que isso não passa de vaga ideia.


Numa conversa com amigos, percebemos que apenas somos números a trabalhar para alguém com um propósito maior que o nosso, e, por isso, com mais influência sobre nós do que o contrário. Porém, isso não faz de nós escravos, porque o mundo não é assim tão fechado aos grandes e ninguém está impedido de sobressair. Deixo aqui uma pergunta de choque: qual é o seu propósito na vida?



Se respondeu ganhar dinheiro, lamentamos. Não somos milionários por aqui, mas o dinheiro não aparece só porque sim. É preciso uma criar uma forma de o fazer crescer. E para que essa forma seja bem sucedida, precisa ter um objetivo. Mas, vamos clarificar exatamente que objetivo é esse.


Ganhar dinheiro será o objetivo final, mas devemos mais considerá-lo como um resultado pelas nossas ideias, ações e decisões do que um objetivo. Como no futebol o objetivo final é o golo, e é apenas conseguido através da boa qualidade do jogo (ou está muito mais próximo de acontecer) na carteira o dinheiro é o golo, conseguido através da qualidade das nossas ideias e da forma como as aplicá-mos. 


Vamos desmontar este pensamento para clarificar as nossas ideias. Queremos ganhar dinheiro. Logo, precisámos de um processo que gere dinheiro. Pode ser uma empresa, um canal no youtube, ser artista, fazer rir as pessoas. investir, etc. Há muitos processos que podemos escolher para marcar o nosso golo. Depois, há a qualidade dos nossos serviços prestados às pessoas. Se você tem uma empresa, então terá que servir bem os seus clientes. Se tem um canal no youtube, os seus vídeos devem ter qualidade, não importando o assunto. Você é artista? Canta? Representa? Dança? Pinta? Então, faça-o melhor que a maioria. Sabe fazer rir as pessoas? Então invista mais e continue a fazê-las rir. Eles querem sempre mais. Você investe? É sempre bom ter os outros a trabalhar por nós. O pior será sempre o risco associado.


Portanto, o que nós queremos é: um processo de qualidade. E um processo de qualidade, tem sempre um objetivo comum entre todos nós: o serviço que prestamos é de alta qualidade para quem paga por ele. E qualidade gera dinheiro. 

O risco e a razão

Mas, isto não acaba por aqui. É preciso compreender que tudo tem um risco associado. Trabalhar tem o seu risco. Casar tem o seu risco. Sair à rua tem o seu risco. E dizemos que temos azar quando algo corre mal. Porém, o azar pode ser mais ou menos controlado. Quem faz as coisas apenas por fazer, não só terá mais azar, como irá conseguir menos. Quem faz as coisas por uma razão, lógica claro, terá menos hipóteses que algo lhe corra mal, e por isso sairá a ganhar mais vezes do que aquelas que perde.


Esta teoria pode ser representada por números quando jogamos Poker. Não digam que é um jogo de sorte, sem pelo menos acabarem de ler. Poker é uma ciência de probabilidades. E o facto é que os melhores jogadores dedicam-se a diminuir as suas situações de risco, estudando, analisando oponentes e cartas, e tomando decisões. Obviamente, que aqueles que mais estudam e melhor analizam, estarão sempre mais perto de tomar melhores decisões. Como tal, eles tem um propósito, que é jogar um poker melhor. Algumas vezes vão perder certamente. Mas, eles "tem mais sorte" porque a qualidade das suas decisões é também maior. E no fim das sessões de jogo, podemos rever todas as mãos e representar por números, a qualidade dessas decisões. 


Outra linha de pensamento. Você está na rua e alguém lhe faz uma oferta. Uma caixa tem 10 bolas. A pessoa pede-lhe 100€ para jogar. Uma das bolas tem 500€ e as outras 9 não tem nada. Você arriscaria? Pense bem e responda para si:


Tudo bem. Se você jogaria, você não teria azar, você estaria a decidir mal para perder dinheiro. Se comprar todas as bolas, vai gastar 1.000€ e só recupera 500€, ou seja, cada vez que comprasse uma bola, estaria a deitar fora, em média, 50€.


E se a mesma pessoa lhe oferecesse o mesmo jogo, mas desta vez teria uma bola com prémio de 1.000€? Você não iria ganhar nem perder a longo prazo. Esta relação de equidade entre o risco e a razão deve ser a nossa base para o propósito das nossas vidas. Não vale a pena arriscar muito por um prémio baixo. Como tal, para ganhar dinheiro, devemos oferecer um serviço a alguém cujo risco será baixo e a razão desse serviço seja alta, para que este seja feito com qualidade. Assim você está a ganhar dinheiro.

my images

Gostou do artigo? Assine agora e receba todas as novidades por email gratuitamente

Após subscrever por email, receberá todos os conteúdos aqui publicados. O seu email não será divulgado a ninguém autorizado nem será utilizado para divulgar spam.
endereço de email
*
campayn